<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d12697588\x26blogName\x3dPalavrArdente\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://palavrardente.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://palavrardente.blogspot.com/\x26vt\x3d9091287933922860388', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
PalavrArdente

SILVES, outrora capital do Algarve, hoje, capital da Palavra Ardente 

terça-feira, maio 31, 2005

4:19 da tarde - Prece

A minha irmã Luísa Vanaen de Voninghem: - a sua coifa azul
virada ao mar do Norte. - Aos náufragos.
A minha irmã Leónia Aubois d'Asbhy. Baou - a erva de estio
borbulhante e fedente. À febre das mães e dos filhos.
A Lulu - demónio - que mantém um gosto pelas oratórias do
tempo das Amigas e pela sua educação incompleta. Para homens! A
madame***.
Ao adolescente que fui. A esse santo velho, eremita ou missão.
Ao espírito dos pobres. E a um bem alto claro.
E a todo o culto em cada lugar de culto memorial e em contingências
tais que nos submetamos, por aspiração passageira ou vício sério.
Esta noite, na Circeto dos morros gelados, oleosa como o peixe,
e iluminada como os dez meses da noite vermelha - ( seu coração
ambâr e spunk ), - para a minha oração silenciosa e única como
estas regiões da noite, e precedendo bravuras mais violentas do que
este caos polar.
A qualquer preço e sob quaisquer céus, mesmo a viagem metafísica-
Mas não agora.
Jean Arthur Rimbaud, in "Iluminações, Uma Cerveja no Inferno"
( Tradução de Mário Cesariny )


Blogger mariagomes said...

pois é...
tenho muito respeito por este Senhor, é um poeta intraduzível.
mariagomes  


Enviar um comentário

© PalavrArdente 2005 - Powered for Blogger by Blogger Templates



Free Hit Counter