<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d12697588\x26blogName\x3dPalavrArdente\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://palavrardente.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://palavrardente.blogspot.com/\x26vt\x3d9091287933922860388', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
PalavrArdente

SILVES, outrora capital do Algarve, hoje, capital da Palavra Ardente 

sábado, julho 09, 2005

3:10 da tarde -



(by Ron Adams, b.1934) in Hand Graphics



...

"O tio Abstinêncio, este que cruza o rio comigo, sempre assim se apresentou: magro e engomado, ocupado a trançar lembranças. Um certo dia se exilou dentro de casa. Acreditaram ser arremesso de humores, coisa passatemporária. Mas era definitivo. Com o tempo acabaram estranhando ausência. Visitaram-no. Sacudiram-no, ele nada.
- Não quero sair nunca mais.
- Tem medo de quê?
- O mundo já não tem mais beleza.
Como aqueles amantes que depois de zanga, nunca mais se querem ver. Assim era o amuo do meu tio. Que ele tinha tido caso com o mundo. E agora doía-lhe demais a decadência daquele rosto de quem amara. Os outros riram. O parente sofria de tardias poesias?
- Você, Abstinêncio, é uma pessoa muito impessoal. Tem medo da vida ou do viver?
- Me deixem, irmãos. Esta é a minha natureza.
- Ou, se calhar, o Mano Abstinêncio não recebeu foi suficiente natureza.
E deixaram-no só e único. Afinal, era escolha dele. "


Mia Couto.


in “ Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra”
Editorial caminho, pag.17


Enviar um comentário

© PalavrArdente 2005 - Powered for Blogger by Blogger Templates



Free Hit Counter